Angela Pintor dos Reis

Angela Pintor dos Reis é professora no Centro Universitário Senac, instituição na qual integra a Comissão Própria de Avaliação (CPA) como representante docente.
Atualmente desenvolve pesquisa de Pós-Doutorado no Departamento de Cinema, Rádio e Televisão do Programa de Pós-Graduação em Meios e Processos Audiovisuais da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Concluiu Mestrado e Doutorado em Comunicação e Semiótica na PUC-SP, em 2010 e 2015. É membra do CENCIB – Centro Interdisciplinar de Pesquisas em Comunicação e Cibercultura (vinculado ao Programa de Estudos Pós-Graduados em Comunicação e Semiótica da PUC-SP) desde 2008. É diretora editorial da Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura (ABCiber) na gestão 2017-2019. Autora de ensaios sobre relações entre formas de violência e cultura mediática, com desdobramentos sobre a sociabilidade e a experiência intersubjetiva do reconhecimento, também publicou, com Eugênio Trivinho e equipe do CENCIB/PUC-SP, A Cibercultura em transformação: poder, liberdade e sociabilidade em tempos de compartilhamento, nomadismo e mutação de direitos (São Paulo: ABCiber, Itaú, Cultural, ebook online); A condição glocalizada das organizações empresariais: vicissitudes e limites da gestão da imagem corporativa, capítulo de A condição glocal: configurações tecnoculturais, sociopolíticas e econômico-financeiras na civilização mediática avançada, obra organizada por Eugênio Trivinho (São Paulo: Annablume); e Comunicação, velocidade e reconhecimento: violência reproduzida na vida social dromocratizada, capítulo de A explosão do cibermundo: velocidade, comunicação e (trans)política na civilização tecnológica atual, obra organizada por Eugênio Trivinho (São Paulo: Annablume). Temáticas prioritárias de interesse: sociabilidade na cibercultura e, especificamente, em redes sociotecnológicas; comunicação e velocidade; reconhecimento como experiência intersubjetiva; e relações entre subjetividade e imagem tecnológica. (Texto informado pelo autor)

Visite o Lattes para informações complementares.
Conheça o Grupo de Pesquisa.